Resenha | Um Tom Mais Escuro de Magia

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Autora: V. E. Schwab
Editora: Record
Páginas: 420
Ano: 2016
Classificação:

Sinopse: Kell é um dos últimos Viajantes — magos com uma habilidade rara e cobiçada de viajar entre universos paralelos conectados por uma cidade mágica. Existe a Londres Cinza, suja e enfadonha, sem magia alguma e com um rei louco — George III. A Londres Vermelha, onde vida e magia são reverenciadas, e onde Kell foi criado ao lado de Rhy Maresh, o boêmio herdeiro de um império próspero. A Londres Branca: um lugar onde se luta para controlar a magia, e onde a magia reage, drenando a cidade até os ossos. E era uma vez... a Londres Negra. Mas ninguém mais fala sobre ela.
Oficialmente, Kell é o Viajante Vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nunca verão. É um hobby desafiador com consequências perigosas que Kell agora conhecerá de perto.
Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra com Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Primeiro ela o assalta, depois o salva de um inimigo mortal e finalmente obriga Kell a levá-la para outro mundo a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a traição espreita em cada esquina. Para salvar todos os mundos, Kell e Lila primeiro precisam permanecer vivos.
Coisa boa é quando a gente encontra um livro que possui todas as características que esperamos encontrar para gostar de uma história. Pra mim, essas características geralmente são: boa construção de mundo, personagens verossímeis, relacionamentos pouco apelativos e escrita que instigue a minha curiosidade. E posso dizer que Um Tom Mais Escuro de Magia possui, além de todos estes elementos, um toque de fantasia que tornou a experiência ainda mais incrível.

Kell, o nosso protagonista, é o tipo de personagem que conquista aos poucos. No começo eu o achei muito apático e sem profundidade, até previsível em alguns momentos. Porém, conforme a história foi se desenvolvendo, consegui enxergar as camadas dele e entender um pouco mais sobre sua personalidade.

Os personagens secundários seguem a linha dos que não são bons e nem ruins, com motivações relativas ao que desejam realizar. Destaco dois que mais me chamaram a atenção: Lila, que chegou a me irritar um pouco em alguns momentos, mas que no final deixou um saldo positivo; e Rhy; que foi meu amorzinho! Adorei cada cena em que ele apareceu.


A ambientação e construção de mundo são impecáveis. Me senti inserida desde o começo, e consegui imaginar com muita facilidade cada Londres criada pela autora, pois cada uma delas tem uma atmosfera única, que realmente salta das páginas de maneira extremamente vívida. Definitivamente o tema “universos paralelos” é um dos meus favoritos, e quando feito com maestria, é ainda melhor.

O enredo da obra é bem introdutório, apresentando as características principais do mundo e da sociedade de cada Londres. Agora, quanto ao desenvolvimento deste enredo, Schwab optou por algo bem fechado, sem deixar quase nenhuma ponta solta e encerrando muito bem a história do primeiro livro. Algumas decisões são um pouco previsíveis, mas não estragaram a minha experiência de leitura.

A escrita de V. E. Schwab se mostra mais madura e envolvente aqui do que em A Guardiã de Histórias, minha experiência prévia com a autora. Por vezes foi difícil largar a leitura e eu me policiei para ler em doses homeopáticas. Mas com certeza me arrependo de não ter pegado esse livro antes da minha pilha…


Te convido a conhecer esse mundo incrível repleto de magia, aventura e segredos, com personagens cativantes e um enredo que vai te deixar curioso a cada capítulo. Faltou muito pouco pra virar um cinco estrelas!

Beijos e até o próximo post :*


0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Topo ↑